Viajar com animais de estimação

12 / ago / 2014

Como viajar com animais de estimação? Se você vai viajar, seja de avião ou de ônibus, e quer levar seu bichinho, fique atento a algumas dicas para garantir o bem estar do seu pet. O Dr. Marcelo Quinzani, do Hospital 24 horas Pet Care, fornece informações importantes para sua viagem ser tranquila.

1. Como é determinado quais animais podem ser transportados como bagagem de mão e quais devem ir para o compartimento de bagagens

Um animal com limite de 15 kg pode ser levado na cabine como bagagem de mão. A partir desse peso, deve ser levado no compartimento de cargas.

2. Um animal que viaja com a família frequentemente pode sofrer algum dano na saúde?

Os animais só devem viajar em caso de necessidade. Normalmente, o mais comum é que cães e gatos acompanharem os proprietários nas pequenas viagens de final de semana ou férias. Já os outros animais, como peixes, aves, roedores e tartarugas somente devem ser transportados em caso de necessidade (mudanças ou viagens definitivas), pois se estressam muito durante o transporte devido às mudanças e oscilações de temperatura e mesmo devido ao manejo e movimentação anormal. À princípio, não se estressam, principalmente se tiver acostumado. Deve se lembrar que não se recomenda transportar fêmeas prenhes, animais idosos, principalmente aqueles com diagnóstico de algumas doenças cardio-respiratórias ou neurológicas

3. Quais cuidados devem ser tomados em relação a alimentação do animal durante a viagem?

A maioria dos animais enjoa durante a viagem e, por conta disso, não devem ser alimentados pelo menos 3 horas antes da partida. A oferta de água deve ser constante, mas o volume oferecido deve ser controlado para diminuir a produção de urina e possíveis vômitos. Alguns animais podem e devem receber medicação para enjoo, mas sempre sob a orientação e prescrição de um Médico Veterinário.

4. Quais são os documentos necessários para a viagem?

Se tratando de transporte dentro do território nacional, os cães e gatos devem apresentar um atestado de saúde emitido por um veterinário, uma Guia de Transporte Animal (GTA) emitido por veterinários credenciados junto ao Ministério da Agricultura, atestando a sanidade do animal e carteira de vacina atualizada. Para cães com até 4 meses de idade não é necessário atestado de vacina anti-rábica. A partir de 4 meses de idade, o animal deve ser vacinado contra a vacina anti rábica que deve ser aplicada em um período mínimo de 30 dias e máximo de 1 ano. O GTA tem validade de 7 dias para apenas um sentido da viagem, isso por que especifica os pontos de partida e chegada. Assim, na volta será necessário providenciar outra guia de GTA. Todos esses documentos são exigidos para o transporte aéreo e terrestre. No transporte em carros, além dos documentos necessários e dos cuidados com a segurança e conforto (caixas de transporte e/ou cintos de segurança), deve-se tomar alguns cuidados especiais com a temperatura ambiente. Deve se dar preferência às horas mais frescas do dia, ou viajar durante a noite. Se possível, o uso do ar condicionado deve ser usado durante todo o trajeto.

5. Qual é a maneira segura e correta de transportar os cães de grande porte durante uma viagem aérea?

As companhias aéreas determinam o tamanho da caixa de transporte de acordo com o peso e tamanho do animal. Os cuidados de preparo são os mesmos exigidos para animais de pequeno porte. Jejum alimentar de no mínimo 3 horas, deixar o animal urinar e defecar antes de colocá-lo na caixa de transporte, se o animal estiver acostumado, colocar uma roupa para aquecê-lo devido ao frio do compartimento de carga. O uso de sedativo pode ser uma exigência da companhia, e deve ser avaliado pelo médico veterinário responsável pelo animal. O animal deve portar uma coleira com identificação, assim como a identificação da caixa de transporte. Dependendo do tempo de viagem, outros cuidados podem ser indicados, como a oferta de água durante o trajeto.

6. Essas recomendações mudam quando se tratam de cães de pequeno porte, gatos ou outros animais?

Não. Normalmente os cuidados são os mesmos. O que muda de acordo com o peso do animal é o local onde pode ser transportado (cabine ou compartimento de carga) de acordo com o tamanho da caixa de transporte.

7. Do ponto de vista da saúde e do conforto do animal, quais são as dicas para que o proprietário escolha corretamente o acessório de transporte (ventilação, tamanho da caixa ou da bolsa etc.)?

As caixas seguem um padrão mundial. Quando é levado na cabine (junto com o proprietário) as caixas podem apresentar um padrão diferente: ser de tecido, mais aberta ou mais fechada, entre outros.

8. Todos os animais devem ser sedados antes de realizarem uma viagem aérea? Quem deve avaliar essa necessidade e o que é levado em consideração a ntes da tomada dessa decisão?

Existem companhias aéreas que exigem a sedação. As companhias americanas não recomendam. O uso de sedativo deve ser sempre prescrito por um Médico Veterinário se assim achar necessário e deve sempre ser feita uma avaliação clínica do animal antes, e se julgar necessário, outros exames podem ser exigidos, antes da prescrição do uso de sedativos. A dose é sempre calculada de acordo com o peso do animal. Animais epiléticos, neuropatas, hepatopatas, nefropatas, cardiopatas ou com algum problema respiratório e/ou muito obesos devem evitar o uso de sedativos.

9. Quais os cuidados que devem ser realizados previamente

Antes da prescrição de um sedativo, o animal deve ser avaliado por um Médico Veterinário.

10. Qual a importância de realizar um check up no animal antes de uma viagem? O que deve ser avaliado?

Saber se existe algum impedimento para a viagem e/ou sedação. Animais doentes não devem ser transportados e invariavelmente não podem entrar na maioria dos países. Portadores de doenças infecciosas, com pulgas, carrapatos, miíases ou outros parasitas não podem viajar. As vacinas devem estar atualizadas e o animal se for ser sedado deve estar em condições de receber esse medicamento sem nenhum risco para sua saúde. A avaliação clínica é que vai determinar quais exames devem ser feitos antes da viagem.

11. De que maneira o Médico Veterinário pode auxiliar os proprietários antes das viagens?

Oferecendo avaliação clínica, vacinação, colocação de microchips, emissão do atestado de saúde e do GTA, prescrição e orientações sobre sedação se necessário, orientações sobre exigências de transporte das diferentes companhias aéreas e países entre outros. Para animais que pretendem ingressar na Comunidade Europeia, a dosagem de anticorpos anti rábica é obrigatória. Nesse caso, a coleta pode ser feita no hospital e o envio do material segue para o instituto Pasteur.

Pin It on Pinterest