A importância dos exames pré-anestésicos no tratamento periodontal

08 / mar / 2021

Quando falamos sobre anestesia, muitos tutores pensam no controle da dor nos diversos procedimentos cirúrgicos ou mesmo ambulatoriais. Mas na medicina veterinária, a anestesia ou a sedação podem servir somente para tranquilizar ou mesmo conter o paciente, diminuindo o estresse para a realização de exames em que não seriam necessárias as anestesias gerais.

O tratamento periodontal é um procedimento que necessita anestesia geral. Cães e gatos precisam ser sedados para o tratamento e/ou a remoção de tártaro. Porém, antes do procedimento, é importante que o animal realize alguns exames pré-anestésicos: exames de sangue (hemograma e perfil bioquímico) e ecocardiograma. A nossa especialista em anestesia veterinária, Dra. Aline Vaccaro, explicou a necessidade de cada um dos exames.

O hemograma detecta a presença de anemia, aumento de glóbulos vermelhos, presença de infecções e alterações de número de plaquetas que interferem na coagulação. O perfil bioquímico avalia o funcionamento dos rins, do fígado, indica alterações metabólicas por meio da dosagem de colesterol, glicemia e triglicérides e avalia os eletrólitos (potássio, cloro e sódio). Já o ecocardiograma avalia o funcionamento do coração e suas estruturas. Com ele é possível descobrir arritmias ou mal funcionamento de válvulas cardíacas e outras alterações que podem comprometer a segurança da anestesia.

Todos esses exames ajudam o anestesista a indicar o melhor protocolo anestésico além de sempre usarmos a anestesia inalatória que é o procedimento mais seguro.

Pin It on Pinterest